F1: Imola 1980

QUANTA HISTÓRIA NUM FINAL DE SEMANA


Desde 1980 o GP da Itália não é disputado em Ímola. Todos os demais 26, que assistimos, foram GP de San Marino, entre 1981 e 2006. Mas, aquela corrida de 14 de setembro de 1980, vencida por Nelson Piquet, com Alan Jones e Carlos Reutemann no pódio, foi repleta de histórias. É o GP do título de construtores da Williams, da monumental batida de Gilles Villeneuve, que sobreviveu de forma milagrosa e muitas outros acontecimentos, que tornaram aquele final de semana, especial. O STATSF1 contou a história e nós resumimos nesta véspera da segunda edição, que será disputada no próximo domingo, dia 18 abril:




Chapman e Ferrari resistem contra Ecclestone


“No final do verão Bernie Ecclestone está comemorando seus planos para um campeonato mundial paralelo, que ele pretende revelar a partir do GP da Itália, a fim de forçar a FISA e as renegociações dos regulamentos técnicos para a 81ª temporada. O chefe do FOCA era apoiado pela Cosworth e todos os membros da Associação de Construtores, exceto Colin Chapman. O chefe da Lotus não acredita na iniciativa de Ecclestone, apontando que nenhum organizador do Grand Prix a apoia, e que os principais patrocinadores (Marlboro, Elf, Gitanes, Essex, Candy, Leyland...) não correrão o risco de subsidiar eventos em piratas. Aleardo Buzzi, presidente da Marlboro-Europa, disse que a McLaren perderia o apoio da Philip Morris se discordasse.


Em uma reunião em Monte Carlo, Chapman conheceu seu patrocinador David Thieme, CEO da Essex, e François Mazet, seu homem de confiança. Ambos pressionam Chapman a se dissociarem de Ecclestone. Bernie está furioso: ele sabe que Jean-Marie Balestre sonha em fomentar um "racha" dentro do FOCA em favor de Chapman...

Por ocasião do GP da Itália, Ecclestone, no entanto, espera contornar Enzo Ferrari para quebrar o campo dos "legalistas". Isso é uma perda de tempo. O Comendador recebe Balestre em Maranello e garante que não tem planos de se distanciar da legalidade. A aventura do turbo fascina o velho. Ele então recebe Ecclestone, que tenta convencê-lo por todos os meios. O empresário até se ofereceu para entregar a presidência do FOCA a ele em uma função honorária. A Ferrari continua inflexível enquanto acaricia Ecclestone, elogiando sua perspicácia nos negócios e sua energia para promover a Fórmula 1. Mas não, a Scuderia não se juntará ao "plano".


Transferências: Didier Pironi se compromete com a Ferrari


Na quarta-feira, 10 de setembro, Guy Ligier recebe um telefonema de Didier Pironi, que anuncia sua contratação na Ferrari para 1981. O ex-jogador de rúgbi cai da cadeira: ele não esperava um golpe como esse. Pironi foi discreto. Para substituir Jody Scheckter, Enzo Ferrari hesitou entre três pilotos franceses: o jovem e brilhante Alan Prost, o giratório René Arnoux, que já conhece os motores turbo e fala italiano, e Didier Pironi, que tem apenas suas qualidades como piloto. Estes são ótimos: para muitos comentaristas, o Francês tem todas as qualidades para se tornar o primeiro campeão mundial francês. O projeto do motor turbo de 126C obviamente seduz este jovem com pressa. Especialmente porque a Ferrari lhe prometeu tratamento igual com Gilles Villeneuve.


Monza em reforma, então vamos para Ímola


Pela primeira (e única) na história da Fórmula 1, o Grande Prêmio da Itália não acontece em Monza. Na verdade, foi o circuito Dino Ferrari de Ímola, localizado a cerca de trinta quilômetros ao sul de Bolonha e a cem quilômetros de Maranello, que foi escolhido para sediar a corrida. Esta transferência temporária deveu-se ao necessário trabalho de segurança realizado em Monza após a tragédia de 1978. Composto por curvas apertadas, mas também de algumas curvas rápidas, o circuito de Ímola é julgado de forma bastante favorável, apesar da nova chicane localizada no local da antiga curva Acqua Minerale. Este local, projetado por Gilles Villeneuve e Jean-Pierre Jabouille, torna-se extremamente lento. Mas, a qualidade da infraestrutura, moderna e espaçosa, é unanimemente elogiada.



Circuito 4.909 km - Recorde 1m15.484s (Lewis Hamilton, 2020)


Nos treinos livres, Ferrari e Gilles Villeneuve testaram o novo 126C para a temporada de 1981. A máquina tinha um motor V6 turbinado que substituiria o V12. Mas o motor tem um tempo de resposta longo, e é só depois de muitos ajustes ele finalmente estaria pronto para 1981.



A outra atração do fim de semana é a apresentação do motor turbinado Alfa Romeo. Chamado 179, é um cilindro V12 de 90 graus, com potência anunciada de 550 cavalos a 11600 rpm. Mas ele não deve aparecer até pelo menos a segunda metade da temporada de 1981.


Para brilhar na Itália, a equipe de Osella construiu um carro novo, o FA1B, equipado com uma carroceria mais estreita e laterais expandidas. Ao volante, Eddie Cheever espera finalmente ver o final de uma corrida.


A Brabham não usa mais a caixa Weismann no carro de Hector Rebaque. O mexicano agora tem a tarefa de ajudar seu companheiro de equipe na sua luta pelo título e volta a utilizar a clássica caixa de Hewland.


Nos Arrows, o alemão Manfred Winkelhock, de 28 anos, que despontava na F2, fez sua estreia substituindo Jochen Mass, que ainda estava com fortes dores após seu acidente na Áustria.


A Michelin está trazendo um novo tipo de pneus mais macios e mais rígidos fato que poderá beneficiar a Renault.


Na sexta-feira de manhã, um helicóptero que transportava a equipe da Alfa Romeo para o circuito sofreu um acidente durante o pouso. Um engenheiro e dois mecânicos ficaram gravemente feridos. Um dos mecânicos morreu devido aos ferimentos na noite de domingo. Para piorar a situação, no sábado Vittorio Brambilla foi vítima de um acidente de trânsito com Carlo Chiti. Felizmente, não sofreram ferimentos.


CLASSIFICAÇÃO


RESULTADO FINAL GP ÍMOLA 1980


Fonte: STATSF1




VITÓRIA DE PIQUET, FESTA NA WILLIAMS


A segunda vitória da temporada e a terceira na F1 permitiu que ele assumisse a ponta do campeonato pela primeira vez com um ponto à frente de Alan Jones. O australiano estava chateado: “após suas vitórias em julho, ele realmente achou que estava garantido no título e não esperava o retorno do jovem brasileiro, que foi subestimado.



A decepção de Jones contrasta com a alegria de Frank Williams, Patrick Head, Charles Crichton-Stuart e toda a equipe Leyland-Saudia-Williams que estava se lixando... para os comentários dos bastidores: eles são campeões mundiais de construtores! Que recompensa para Frank Williams, o "dono da oficina" que puxou o diabo pela cauda durante os anos 70, expulso de sua própria equipe por Walter Wolf em 1976, começou do zero no ano seguinte... e finalmente foi capaz de subir graças ao vento saudita e ao projetista Patrick Head. O excelente FW07 levou apenas dois anos para chegar ao topo da categoria. Head e seu FW07 provavelmente produziu o melhor efeito solo da Fórmula 1 da terceira geração. Ele foi auxiliado por outros talentosos jovens engenheiros, como Ross Brawn e Neil Oatley”, reconhece o STATSF1.



CLASSIFICAÇÃO FINAL TEMPORADA 1980


Alan Jones campeão (67 pontos) - Nelson Piquet vice (54 pontos) - Carlos Reutemann 3º colocado (42 pontos)


FONTE: STATSF1

Pesquisa: Paulo Torino

PIT STOP  EDIÇÃO DIGITAL
maio/2021
PitStop#32.png
REVISTAS -  Capas
2017-2021
Logo_PitStop_ ok.jpg

Jornal PIT STOP produzido no Rio Grande do Sul onde circulou mensalmente durante 24 anos, sempre entregue gratuitamente nos autódromos gaúchos entre 1993 e 2017. 

Com o fim da edição passamos a produzir a partir de 2017 a Revista NEWS / Jornal PIT STOP digital, publicada aqui no site mensalmente.

O www.corridaonline.com.br existe desde 2000 e foi pioneiro nas transmissões AO VIVO de imagens e áudio no Brasil em corridas de automobilismo.

 

Redação e edição: Paulo Torino 

paulo_torino@yahoo.com.br

Mercedes 300SEL AMG #35_Red Sow_SPA 1971

Conheça o artista 

Roberto Muccillo